RECENTES

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

"Gwenhwyfar: O Espírito Branco" de Mercedes Lackey [Opinião Literária]


Título: Gwenhwyfar: O Espírito Branco
Autora: Mercedes Lackey
Editora: Planeta

Sinopse:
A mais antiga das histórias galesas e o mais antigo dos mitos de Artur falam como se não tivesse uma, mas sim três rainhas com esse nome. Recorrendo a essas fontes mais antigas, Mercedes Lackey reconta a história da lendária terceira rainha de Artur.
A crescer numa Inglaterra onde os costumes antigos estavam a ser suplantados pela influência do Cristo Branco, Gwenhwyfar move-se num mundo onde os deuses antigos ainda caminham entre os devotos pagãos, onde visões nebulosas advertem contra perigos futuros e onde existem dois caminhos para uma mulher, o caminho da Bênção ou o caminho mais raro do Guerreiro.
Quando as Senhoras da Fonte convocam Gwen para servir um propósito especial, cede às circunstâncias para se tornar a terceira rainha de Artur - e encontrará tentação e traição, intriga e decepção, mas também amor e redenção.

Opinião:
Este é um romance histórico, uma recriação da lenda arturiana, que alia na perfeição a narrativa histórica com o misticismo e a magia deste mito. Contudo, um aspeto surpreendente nesta obra é a personagem principal: ao contrário do que seria expectável, não é o Rei Artur que se destaca na estória; este tem um papel secundário relativamente às personagens femininas, com especial destaque para Gwenhwyfar.
Ao longo da estória acompanhamos o crescimento e o quotidiano de Gwen, desde a sua infância e a relação com as suas irmãs, até ao seu sucesso como guerreira com capacidades invejáveis mesmo pelos homens, chegando finalmente à renúncia deste sonho para cumprir o seu dever como mulher de Artur. Através da sua visão do mundo que a rodeia, perspetivamos as suas dificuldades enquanto rapariga abençoada pela magia mas cujo o sonho envolve um caminho árduo para uma mulher: o caminho do Guerreiro. Num ambiente dominado por homens, Gwenhwyfar destaca-se pela sua determinação, coragem e dedicação – à sua carreira, à sua família e ao seu povo. Esta é uma personagem cativante, com a qual o leitor desenvolve empatia com facilidade.
Por outro lado, achei a ideia de Gwenhwyfar não ser apenas o nome de uma mulher, mas sim das três esposas diferentes de Artur, com personalidades e características distintas, amadas de diferentes formas pelo Rei Supremo, muito original.
No fundo, esta é uma estória marcante, com ação, mistério, fantasia e personagens intrigantes. Mais do que um simples romance histórico, é uma visão inovadora mas muito interessante acerca da lenda arturiana.


2 comentários:

  1. I put this one on my list to read....Eu coloquei esta na minha lista para ler ....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. I highly recommend it, it's well worth a read :)

      Eliminar