RECENTES

quinta-feira, 11 de abril de 2013

"Divergente" de Veronica Roth [Opinião Literária]

Título: Divergente
Autora: Veronica Roth
Editora: Porto Editora
Coleção: Divergente (nº1)

Sinopse:
Na Chicago distópica de Beatrice Prior, a sociedade está dividida em cinco fações, cada uma delas destinada a cultivar uma virtude específica: Cândidos (a sinceridade), Abnegados (o altruísmo), Intrépidos (a coragem), Cordiais (a amizade) e Eruditos (a inteligência). Numa cerimónia anual, todos os jovens de 16 anos devem decidir a fação a que irão pertencer para o resto das suas vidas. Para Beatrice, a escolha é entre ficar com a sua família... e ser quem realmente é. A sua decisão irá surpreender todos, inclusive a própria jovem.
Durante o competitivo processo de iniciação que se segue, Beatrice decide mudar o nome para Tris e procura descobrir quem são os seus verdadeiros amigos, ao mesmo tempo que se enamora por um rapaz misterioso, que umas vezes a fascina e outras a enfurece. No entanto, Tris também tem um segredo, que nunca contou a ninguém porque poderia colocar a sua vida em perigo. Quando descobre um conflito que ameaça devastar a aparentemente perfeita sociedade em que vive, percebe que o seu segredo pode ser a chave para salvar aqueles que ama... ou acabar por destruí-la.

Opinião:
Nesta obra temos acesso a uma narrativa emotiva, inovadora e espontânea, que retrata uma sociedade onde a perfeição é atingida pela segregação populacional, onde tudo é controlado e monitorizado, onde uma escolha aos meros 16 anos define por completo o rumo da sua vida.
Através de um discurso direto temos acesso na primeira pessoa às experiência e emoções da protagonista. Tris é uma jovem que se destaca num mundo mecânico e previsível. Corajosa, mas com inseguranças que a tornam mais humana, Tris prova ser muito mais do que o destino que lhe foi imposto.
Mas a personagem verdadeiramente fascinante nesta estória é Quatro. O seu lado frio e rude, em alguns momentos, é compensado pela ternura e preocupação que desenvolve por Tris. Uma personagem com múltiplas camadas, Quatro é muito mais do que parece à primeira vista e a forma como defende os seus valores e ideais é notável! Este é um protagonista feito para ser repudiado e amado em simultâneo, que não deixará o leitor indiferente. Tris e Quatro formam um par singular, com uma ligação profunda, rebelde e apaixonante, fortalecendo a componente romântica desta estória.
Roth caracteriza brilhantemente cada uma das fações que compõem esta comunidade, descrevendo uma sociedade complicada de gerir e de se manter em paz. Esta é uma estória que sem dúvida exige alguma reflexão: será a humanidade assim tão linear que possa ser dividida em cinco traços de personalidade? A mensagem final que retiro deste livro é que, a união e o trabalho em comunidade se sobrepõe à segregação. Se as diferentes fações se unissem e superassem as falhas de comunicação que levaram a esta situação, seria possível reestruturar o ideal de perfeição desta sociedade. Afinal, a humanidade é complexa e não pode ser limitada mediante uma característica.    
Com um enredo sem momentos mortos, repleto de ação e suspense, é um livro que se lê num ápice. Uma estória que proporciona bons momentos de reflexão e constatação sobre a humanidade, sem remover o teor juvenil. Indubitavelmente uma boa aposta no género young-adult.

9 comentários:

  1. Oi :)

    Deixei-te um selo em http://paginas-encadernadas.blogspot.pt/2013/04/selo-bloguivismo.html

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!! :D

      Já vou buscar o selo!!

      Beijinhos*

      Eliminar
  2. Eu também adorei este livro! Fiquei rendida ao género!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bom, não foi a minha estreia no género mas sem dúvida que foi outra boa experiência no contexto :)

      Eliminar
  3. Oh gostei da tua opinião e concordo mas fiquei a pensar nas 4* que deste. Gostei tanto do livro. Dentro do género (mas também ainda não li assim tantos) foi o que mais gostei.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dei 4* basicamente por comparação, porque acho que houve outros livros que despertaram o meu lado mais emotivo do que este, se é que me faço entender... É difícil de explicar mas por exemplo, "Os Jogos da Fome" acabou por me marcar mais do que este, talvez por isso tenha que diferenciar em termos de classificação.
      Devia ter começado a atribuir pontuações intermédias, tipo 4.5*, secalhar ficava mais justo sei lá xD

      Eliminar
  4. Ainda estou na indecisão quanto à leitura deste livro. Já li muitas boas reviews mas também já li más. Assim, tenho andado a adiar e outros livros vão-se metendo à frente:P
    Confesso que a sinopse parece interessante mas algumas pessoas dizem que a protagonista é extremamente irritante (e eu quando embirro com a protagonista é fatal:p)
    Ainda tenho de pensar melhor:P Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hmmm...não achei a Tris nada irritante, talvez um bocado insegura e indecisa mas não me irritou (felizmente) :) Também quando imbirro com a/o protagonista/o não costuma dar bom resultado xD
      Pensa, pensa e depois se decidires ler vou cuscar a tua opinião :P

      Beijinhos e boas leituras!

      Eliminar
    2. Sim:P Talvez se me cruzar com ele a um bom preço lhe dê uma oportunidade:) Beijos

      Eliminar